Justiça determina afastamento de 10 vereadores Investigados por corrupção Em Caruaru

Curtir
Curtir Amei Haha Wow Triste Raivoso
Presidente da Câmara, Leonardo Chaves, disse estar surpreso e constrangido com prisão de colegas. Foto: Tércio Amaral/DP/D.A Press



Os dez vereadores de Caruaru envolvidos na primeira fase da Operação Ponto Final voltaram a ser afastados do cargo nesta quarta-feira (17) pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). 

Na prática, apenas cinco dos vereadores vão deixar os cargos: Louro do Juá (SD), Jajá (sem partido), Sivaldo Oliveira (PP), Cecílio Pedro (PTB) e Eduardo Cantarelli (SD). 

Isso porque os outros cinco vereadores já estavam afastados pela segunda fase da Ponto Final: Neto (PMN), Val das Rendeiras (PROS), Pastor Jadiel (PROS), Evandro Silva (PMDB) e Val de Cachoeira Seca (DEM).

Na Operação Ponto Final 1, os vereadores foram acusados de cobrar propina para aprovar projetos favoráveis à Prefeitura de Caruaru. 

Na Ponto Final 2, os edis foram acusados de corrupção para abertura de uma CPI cujo objetivo seria cobrar do Executivo para que ela fosse encerrada.

Os vereadores estudam a possibilidade de recorrer da decisão. 

Eles podem levar o caso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e, posteriormente, ao Supremo Tribunal Federal (STF). 

O afastamento dos vereadores foi confirmado ao Blog de Jamildo pela assessoria do TJPE.

A decisão é dos desembargadores que compõem a 4ª Câmara Criminal do Tribunal: Gustavo Augusto Rodrigues de Lima, Odilon Oliveira Neto e Marco Antônio Cabral Maggi. 

Eles concordaram com o afastamento que havia sido dado pelo juiz Francisco de Assis de Morais Júnior, da 4ª Vara de Caruaru, que havia sido derrubada por meio de liminar.

Informação Vindas Do Blog do Jamildo

Curtir
Curtir Amei Haha Wow Triste Raivoso

Deixe Sua Opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.